Em 2011, o quadrinista José Aguiar se uniu com o dramaturgo e diretor de cinema Paulo Biscaia Filho para levar os personagens dos premiados espetáculos da cia teatral Vigor Mortis para os quadrinhos. O resultado foi um projeto transmídia com ramificações no teatro e cinema que só poderia acontecer nas páginas de uma história em quadrinhos. Além de render excelentes críticas e repercussão no meio dos quadrinhos. No ano seguinte o livro recebeu uma indicação ao prêmio de melhor Edição Especial Nacional no TROFÉU HQMIX.

Aguiar e Biscaia escreveram juntos o primeiro volume de Vigor Mortis Comics, publicado em parceria pela Quadrinhofilia e Zarabatana Books. Essa antologia de oito HQs com personagens vindos do repertório da companhia de teatro (a peça e filme Morgue, Story – Sangue, Baiacu e Quadrinhos, Graphic, entre outras) contou também com a arte do quadrinista DW Ribatski e de José Aguiar nos desenhos.

Em 2014, Vigor Mortis Comics 2 – Sangue, suor e nanquim leva adiante os experimentos narrativos e estéticos do livro anterior, agora, com o acréscimo da arte do quadrinista André Ducci. Esta história original e inédita é fruto de um encontro de personagens do internacionalmente premiado longa-metragem independente Nervo Craniano Zero e da peça Seance – As Algemas de Houdini.

Este é um projeto realizado pela Quadrinhofilia Produções Artísticas através do Programa de Apoio e Incentivo à Cultura, da Fundação Cultural de Curitiba, com incentivo do Banco do Brasil.

 

Sobre Vigor Mortis Comics 2 – sangue, suor nanquim:

O ano é 1969, em um país que vive sob um regime opressor. Bruna Bloch é estudante de jornalismo e escritora nas horas vagas. Isto é, nos poucos minutos que ela tem entre aulas, viagens alucinógenas, orgias, entrevistas com assassinos seriais e dar conta de vingar a morte de sua irmã. Nesses raros momentos que lhe sobram, ela rascunha a história de Lavínia, uma enfermeira solitária com poderes paranormais.

Roteiro: Paulo Biscaia Filho e  José Aguiar,

Desenhos: José Aguiar, DW Ribatski e André Ducci

O livro é recomendado para leitores maiores de 16 anos.